Agências funerárias: tanatopraxia profissional exigida

Desde Dezembro de 2010, as agências funerárias em Portugal são obrigadas a ter pelo menos um profissional de tanatopraxia. O tanatopractor detém funções além do embelezamento dos corpos, daí se justificando a sua relevância numa agência. Além disso, o objectivo da sua formação profissional está muito direccionado para o tratamento dos corpos para que não constituam um risco para a higiene e para a saúde pública. agências funerárias

Em Portugal, esta medida que já conta com 5 anos é particularmente relevante, uma vez que é muito habitual os entes queridos dos falecidos gostarem de se aproximar do seu corpo para lhe tocar e para o beijar. Assim, mesmo que algumas agências funerárias de menor dimensão ainda não contassem com o apoio de um profissional de tanatopraxia, estas acabaram por ter de formar os seus empregados, para que obedecessem às regras do recente decreto-lei. Por outro lado, os grupos de serviços funerários do país tiveram mais facilidade em adaptar-se, como é o caso da Servilusa, dado que nas suas equipas alargadas encontram-se sempre profissionais com habilitação para dar formação na área.

O maior obstáculo nos meses que se seguiram à publicação do decreto foi encontrar cursos de formação certificada em tanatopraxia em Portugal, uma vez que a tanatopraxia é mais usual em países como França e Espanha. Afinal, muitos dos profissionais mais antigos encontravam-se em posição de justificar os seus conhecimentos através da sua experiência de décadas na área.

Deste modo, os profissionais mais experientes puderam completar menos de 200h de formação, enquanto os mais jovens foram obrigados a frequentar 1125h. A oferta formativa tem de contemplar obrigatoriamente módulos de anatomia, medicina legal, reconstrução e ética.

Pouco menos de um ano após o decreto-lei acerca da actividade tanatopractora ter entrado em vigor, o Público lançou uma reportagem que retrata com exactidão as recentes alterações no funcionamento das agências funerárias.

Quais as funções de um tanatopractor nas agências funerárias?

As funções mais conhecidas dos profissionais de tanatopraxia (do grego thánatos – morte, e praxis – acção) nas agências funerárias são a aplicação de métodos que permitem a conservação temporária dos corpos, atrasando a sua decomposição, a sua reconstrução em caso de mutilação e a sua preparação para que possam ser vistos imaculados durante a celebração fúnebre.

Ao retirar e minimizar a libertação de fluidos e bactérias pelo corpo, substituindo até o sangue por soluções anti-bacterianas, embelezando o corpo através da sua limpeza, maquilhagem e roupas, o cadáver mantém-se com uma boa cor e em condições de ser visto e transportado durante uma maior duração.

Mais do que tecnicizar a morte, estes métodos de conservação praticados pelas agências funerárias permitem tornar menos duro o luto das famílias e amigos, permitindo-lhes uma última despedida e garantindo-lhes uma última imagem o mais fiel possível dos que partiram.

Publicado em Serviços Funerários com a(s) etiqueta(s) , , a por .

Sobre Vasco Simões

Jovem de 33 anos, depois de estagiar com vários especialistas, nalguns casos, com mais 25 anos de experiência, desenvolve a sua atividade enquanto mestre de cerimônias desde 2010 na Lusitana, procurando conjugar a tradição com a inovação, aportando uma nova imagem ao setor. Liderando uma equipa que reflete o espirito da Lusitana, o compromisso na escuta e acompanhamento das pessoas que nos procuram, a prestação de serviços adaptada a cada um, cultiva e promove valores fundamentais na atividade, tendo como resultado; contemporaneidade, segurança e confiança. Mestre de cerimonia da Lusitana, com formação em Legislação laboral e da atividade funerária,orçamentação e faturação de produtos e serviços funerários,procedimentos burocráticos relativos ao óbito,prevenção de riscos na atividade funerária;psicologia do luto, tanatopraxia e tanatoestética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *